Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

19
Mar18

"Fama" - Capítulo XX

João Jesus e Luís Jesus

Entro no gabinete.

- Chelsea. - Diz a voz tão odiada da mãe do Liam

- Francine. - Digo, revirando os olhos quando vejo a cara de cabra dela

Ela arregala os olhos e parece que estes vão saltar-lhe da cara.

- Aqui é Senhora Francine! - Diz ela, bem alto

Sento-me na cadeira à frente dela.

- Deixe-se dessas tretas. - Digo-lhe - O que quer de mim?

Ela faz um último olhar maléfico e de repente começa a tagarelar.

- Sabe que acabou de dar um raspanete na dona da "Angels" não sabe? - Diz ela, olhando para mim com um leve sorriso - Sabe que isso pode levar a sérias consequências.

Fico a olhar para ela, calada. 

- Admita, Francine. - Ela arregala os olhos novamente - A Blair estava a precisar. Ela era má com todos.

A Francine ri-se. O riso dela deixa-me com pele de galinha. Parece um gato a afiar as unhas num quadro de giz.

- Como és estúpida, Chelsea! - Ri-se ela - Nunca se fala assim para alguém superior! Sabes que o que fizeste pode levar a algumas consequências, não sabes? 

Ela começa a apontar para o seu telemóvel. Fico furiosa. Apetece-me matá-la! Ela não tem o direito de fazer chantagem comigo.

- Estou a ficar farta das suas regras. - Digo

- Agora é assim! Tentasse não namoricar nas entradas dos prédios. - Diz ela, maldosamente

Se eu fosse mãe da Francine, tinha-a afogado quando esta nasceu. É um cobra venenosa. Estúpida!

- E agora como punição, sugiro que vá até à Blair e lhe peça desculpa...

- Mas...

- E que diga que vai sair do desfile. - Diz ela por fim

Fico calada. 

- Nem pensar! - Grito bem alto - Sabe os sacríficios que eu fiz para chegar aqui, não sabe?

Ela sorri e mostra todos os seus dentinhos afiados de tubarão. Ai quem me dera ter uma pedra!

- Ou podemos sempre divulgar a sua foto, faça como entender. - Diz-me ela, com um ar vencedor

Desisto. Ela ganha de qualquer das maneiras. Estúpida, estúpida, estúpida!

- Ok, eu faço! - Digo-lhe - Mas um dia, Francine, um dia, vai se arrepender de todas as maldades que fez.

Levanto-me e saio do gabinete, enquanto ela me acompanha com o seu olhar de bode.

 

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

05
Mar18

"Fama" - Capítulo XIX

João Jesus e Luís Jesus

- O que é isto? - Grita alguém

Abro os olhos de imediato e vejo uma Dianne aos gritos a olhar para mim. 

Oh não! Agora lembrei-me.

- Ups. - Sussurro

O Jordan levanta-se de imediato e começa a vestir-se rapidamente.

- Que raios é isto? Podem explicar-me? Chelsea! - Grita-me ela

Sorrio timidamente e ela fica ainda mais furiosa.

- Bem, vou andando. - Diz o Jordan, levantando-se - Até logo.

Ele sai do apartamento e eu reparo que acabei de me lixar. O interrogatório da Dianna vai começar imediatamente.

- Ok Chelsea, agora não me escapas. - Diz ela com o pavor espetado nos olhos e senta-se no sofá - O...que...aconteceu...aqui?

Suspiro. Vou ter de contar.

- Mudou alguma coisa, entre mim e o Jordan. - Revelo

Ela arregala os olhos.

- Isso já eu vi com os meus próprios olhos. Diz me só o que aconteceu para vos ver nessas condições. - Diz ela abanando imenso os braços

- Calma Dianne! - Digo-lhe

- Calma?! Como queres que eu tenha calma se eu acabei de te ver com o estúpido do Jordan deitados no sofá a dormir um em cima do outro? E ainda por cima, não te esqueças que oficialmente tu namoras com o Liam, por isso quero ver como lhe vais explicar tudo o que se passou. - Diz ela rapidamente

- Ok, ok! Não vamos por aí. Foi um deslize. - Digo e ela bufa

Decido contar a verdade.

- Desde que chegamos a Los Angeles, o Jordan tem-se aproximando mais de mim e está cada vez mais simpático comigo. A príncipio, não acreditava na mudança dele, mas aos poucos ele foi mostrando que realmente tinha mudado. - Digo

- Sim, sim é tudo muito bonito! Mas como é que tudo aconteceu?

- Ontem de manhã, fui correr e pelos vistos ele faz o mesmo todas as manhãs. Ele decidiu acompanhar-me até aqui e eu deixei. Quando me preparava para entrar, ele beijou-me de repente. Eu afastei-o de imediato, mas...

Paro. Não sei se devo contar sobre a foto. 

- Mas o quê? - Diz ela

Afinal ela é a minha melhor amiga. Acho que devo contar-lhe.

- Mas tiveram tempo de tirar uma foto. - Digo e ela fica aterrorizada - E a foto está nas mãos da mãe do Liam, que agora está a fazer chantagem comigo e se eu fizer algo que não lhe agrade, ela divulga a foto por todo o lado.

Ela geme.

- Ai Chelsea! Metes-te numa linda! Nunca gostei daquela piranha. - Diz ela - E depois?

- Depois, eu voltei para casa após uma grande discussão com ela. O Liam foi-se embora e deixou-me à porta. E o Jordan estava escondido no jardim, porque alguém o andava a perseguir. Eu deixei-o ficar aqui para dormir esta noite, mas ele beijou-me quando saimos do elevador e não conseguimos parar. - Revelo envergonhada

Ela leva as mãos à cara. 

- Sabes que vais ter de contar ao Liam. - Diz ela mais calma

- Ainda tenho de pensar no que lhe digo. - Suspiro - E por favor não lhe contes nada, Dianne!

- Achas que eu faria isso? Dou-te a minha palavra. - Diz ela

Abraço-a. Ela é uma boa amiga.

- Bem, vamos indo para os estúdios. - Diz ela

Levanto-me do sofá e despacho-me a tomar um banho rápido. Como qualquer coisa e eu e a Dianne vamos para os estúdios.

 

___________________________________________________________________________

 

- Por isso, agora vamos escolher quem vai ou não vai ao desfile da nova linha de estação de Primavera. - Diz a Blair

Todos ficam nervosos. Até eu, estou super nervosa.

- Vamos começar pelos rapazes. - Diz ela, com um sorriso de cobra - Então, quem eu não disser, pode fazer as malas e pôr-se a andar. 

Autch! Esta doeu. 

- Jordan Williams, parabéns. 

Sorrio pelo Jordan, que me pisca o olho e junta-se a Blair.

- Vicent Louis.

Um rapaz de pele um pouco amarelada, mas até giro, junta-se também a Blair.

- Louis Connor.

Outro rapaz muito bronzeado e musculado junta-se aos outros.

- E por fim, David Davis. - Diz ela, com um ar irónico

Um rapaz afro junta-se a ela e vejo a cara dos outros, que tentam sorrir mas vê-se a desilusão na cara deles.

- E agora as meninas.

O meu coração salta do peito. 

- Anna Flinns. - Diz ela 

Vejo a rapariga tímida ruiva a juntar-se aos outros rapazes com um ar feliz.

- Kawa Loris. - Diz ela para a rapariga negra, mas bonita

- Dorothy Cathrines. 

Mais outra rapariga anda até Blair e acho que a lista não pode ser mais longa. Nunca mais diz o meu nome!

- Catherine McLag. 

Passa-se algum tempo depois de Blair dizer o nome desta.

- Oh e por último, mesmo à rasca, Chelsea DeTriny. - Diz ela com cara de enjoada

Sinto um enorme calor dentro de mim. Finalmente!

Junto-me às outras raparigas e vejo a cara já vermelha das outras. 

- Então, o resto que se passe a andar, temos mais que fazer. - Diz ela arrogantemente

Fico surpreendida. Tenho pena deles e num acesso de raiva, agarro no braço de Blair.

- Hum, desculpe lá, mas acho que isso não são modos de tratar as pessoas. - Digo-lhe - Toda a gente se esforçou para ter um lugar e você continua arrogante, acho que lhes deve um pedido de desculpas.

Ela olha para mim muito surpresa. Quando se prepara para falar, oiço alguém a bater palmas. 

É o Jordan. E todos imitam o seu gesto, começando a bater palmas. A Blair fica roxa de raiva.

- Por isso, acho que deve pedir desculpas agora. - Digo, um pouco encorajada

Ela abre e fecha a boca inúmeras vezes. Nunca ninguém a deve ter enfrentado na vida. Temos pena!

- Pois... Desculpem. Mas é assim que acontece. - Diz ela e foge de imediato para o escritório dela

Sorrio e todos os que já não podem ficar mais nesta aventura, abraçam-me com um grande sorriso.

Sinto-me integrada e feliz pelo que fiz.

- Chelsea, ao meu gabinete. - Oiço a voz metálica da mãe do Liam

Reviro os olhos. Cabra.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

26
Fev18

"Fama" - Capítulo XVIII

João Jesus e Luís Jesus

Engulo em seco e olho para a cara de cobra da mãe do Liam.

- Agora tenho-te na minha mão, Chelsea. - Diz ela, com um ar de "eu sou a chefe disto tudo" - Chantagem. É assim que se tem o que se quer aqui.

Olho-a nos olhos e uma raiva enorme cresce dentro de mim.

- Atreva-se a publicar a foto que eu faço-lhe algo pior. - Ameaço

Ela ri-se.

- Tu? O que tu farias contra mim? Não tinhas hipóteses! Quando tentasses já estavas morta. - Diz-me ela

Ela tem razão. Não tenho nada contra ela e nem consigo deitá-la abaixo. 

Ela sorri maliciosamente mais uma vez.

- Agora vais fazer tudo o que quero. - Diz-me ela - Tudo. Sem questionar. 

Quero tanto dar-lhe um grande murro na cara. Detesto-a, detesto-a, detesto-a. 

- Digamos que faço o que você quer, promete não divulgar foto nenhuma? - Pergunto

Ela faz um ar de vencedora. Cheguei onde ela queria.

- Mas é claro. Eu cumpro sempre as minhas promessas. - Diz ela, estendendo-me a mão

- Não vou apertar mão nenhuma. - Digo-lhe - Eu vou tentar fazer o que você quer. Só não divulgue a foto. 

Ela sorri e o Liam regressa à sala.

- Então? Já está a ficar tarde, acho que devia levar a Chelsea de volta a casa. - Diz ele

- Oh mas é claro. Já é tardíssimo. - Diz a mãe dele, simpaticamente - Até amanhã, Chelsea! Adorei voltar a vê-la.

Ela beija-me as bochechas. Que nojo! Finjo apenas um sorriso.

- Até amanhã. - Digo

Saimos da mansão e entro no carro. Foi uma noite horrível! Tenho uma vontade enorme de esganar a cobra da mãe do Liam! 

- Então, estás com sono? - Pergunta ele, enquanto conduz

- Não. - Digo

Ele olha para mim. 

- Então, correu bem a conversa com a minha mãe?

Reviro os olhos. 

- Lindamente.

- E de que falaram? Posso saber? - Pergunta ele curiosamente

- Desfiles e essas coisas. - Minto

- Claro! Eu até pensei que vocês estavam a fazer algum pacto maligno, para demorarem tanto tempo. - Ri-se ele

- Foi mesmo o que fizemos. - Digo

Ele ri-se, achando que é brincadeira. 

Chegamos a casa.

- Bem até amanhã. - Diz ele, beijando-me

- Xau. - Digo, saindo do carro

Ele afasta-se e eu aproximo-me da porta de entrada à procura das minhas chaves. 

- Pssst. - Oiço

Olho para trás. Não vejo ninguém.

- Psssssssst. - Oiço novamente

Sigo o som. Está nos  arbustos do pequeno jardim.

Com medo que seja uma cobra, agarro no pequeno guarda chuva que tenho na minha mala. 

Aproximo-me do arbusto de onde veio o som. Levanto o guarda chuva, pronta para atacar o bicho.

- Hey, hey! Calma! - De repente, alguém se levanta por detrás do arbusto

Grito, mas vejo que é o Jordan.

- Jordan! Raios, quase me assustaste! - Protesto

Ele não sorri nem nada. 

- Só preciso de ajuda! Anda alguém atrás de mim. Não posso voltar para casa. - Diz-me ele com os olhos arregalados

Suspiro. Não queria nada levá-lo para minha casa, a Dianne ia ficar passada.

- Não podes ir para um hotel nem nada? - Pergunto

Ele abana a cabeça.

- Andam a perseguir-me de mota. Deve ser algum inimigo do meu pai ou assim. - Diz ele

Olho em volta. A rua está vazia, não se vê ninguém.

- Só esta noite, mais nada. - Digo - E dormes no sofá.

Ele suspira e levanta-se devagar. Abro a porta do prédio.

Ele entra de imediato e eu ligo a luz para ver o elevador.

- Obrigado Chelsea. - Diz-me ele

O elevador chega e eu entro. Ele entra logo de seguida. Carrego no botão.

O elevador começa a subir. Ele olha para mim. Eu olho para outro lado, estou envergonhada.

- Bem, desculpa lá daquilo de manha. - Diz ele, coçando o cabelo

Olho para ele, um pouco surpreendida. 

- Ah, pois! Não faz mal, aconteceu. - Digo, rapidamente

Ele olha para mim com um ar estranho. O elevador abre-se e ele sai primeiro.

Sem querer deixo cair a mala e apanho-a logo de seguida. Preparo-me para sair, mas as portas do elevador fecham-se e a mala fica presa.

- Raios! - Puxo a mala

As portas não se abrem. Continuo a puxar, mas a mala não sai.

- Eu faço isso. - Diz ele

Ele aproxima-se da porta e com as mãos, ele faz força para abrir a porta. Vejo que ele está a cerrar os dentes com a força que faz e os músculos dos braços parecem que vão explodir.

- Ah! - Diz ele, quando consegue abrir as portas e tira a mala - Toma lá.

- Obrigada. - Digo com um sorriso e agarro na mala

Ele toca-me com a mão na minha. Não consigo tirar a mão, parece que fico presa.

Olho-o nos olhos. Ele continua com a mão na minha. 

De repente, beijo-o. Ele beija-me logo de seguida e de repente, quando dou por mim, estamos agarrados junto à porta do meu apartamente.

Abro-o rapidamente e entro para casa. A Dianne deve estar a dormir, pois as luzes da casa estão apagadas.

Continuamos a beijar-nos e sentamo-nos no sofá. Acho que vai ser uma noite longa.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

19
Fev18

"Fama" - Capítulo XVII

João Jesus e Luís Jesus

Caminho pelas ruas de Los Angeles de mão dada com o Liam.

- Ok, mas aquele sushi estava maravilhoso! Adorei. - Diz-me ele

Sorrio. Por acaso até gostei de provar o meu primeiro sushi naquele restaurante, que claro, era caríssimo e de luxo.

- Por acaso, até gostei. Pensava que ia saber mal. - Declaro - E o wasabi nem era assim tããão picante!

Ele começa a rir.

- Fogo, eu tive de beber dois litros de água. - Diz o Liam entre gargalhadas

Continuamos de mãos dadas pelas ruas movimentadas de Los Angeles. De repente vem-me à mente os acontecimentos da manhã, onde o Jordan me beijou à porta do meu prédio.

Tento esquecer isso, mas fico um pouco nervosa e sinto que as minhas mãos estão suadas. 

- Então? Tens as mãos todas suadas! - Diz-me ele, limpando a mão nas calças

Tento sorrir um pouco.

- Estou um pouco enjoada. - Minto

- Foi do sushi? - Pergunta ele, preocupado

- Não, não! Nada disso! Estou apenas a sentir-me um pouco estranha. - Minto outra vez

- Então, porque não vamos a minha casa? Podes tomar alguma coisa, tipo um chá e assim! E a minha mãe quer muito falar contigo, por isso são dois em um. - Propõe ele

Oh raios! A mãe dele, não! Não quero ir, não quero ir, mas também não o quero decepcionar!

- Pode ser, mas tem de ser rápido! Amanhã é um longo dia! - Digo

Ele sorri. 

- Então, vamos! - Ele abre a porta do carro e eu entro

Enquanto ele conduz para a mansão mais cara de Los Angeles, eu verifico o meu telemóvel. Tenho duas mensagens da Dianne a perguntar se está tudo bem e eu mando-lhe um simples "Sim", pois ela já sabe que lhe conto tudo no fim do dia. 

Porém sinto a falta de algo. Sinto a falta de uma pequena notificação de alguém que detestava imenso, mas que agora já nem sei o que achar dessa pessoa. O Jordan. Até começava a gostar dele, mas tenho namorado e está a ficar tudo complicado agora!

Bloqueio o telemóvel e vejo que já chegamos a casa do Liam. De noite ainda é mais deslumbrante, toda iluminada, com a sua enorme piscina e jardim misterioso. Tenho inveja daquela casa.

Saio do carro e o Liam dá-me a mão novamente. Sinto-me um pouco mais segura. 

Entramos e um delicioso cheiro a baunilha invade-me as narinas. 

- Oh Liam! - Diz a mãe dele, quando dá pela nossa presença - E Chelsea! Que agradável ter-te aqui.

Ela beija-nos na cara e faz-me um sorriso muito forçado para o meu gosto. Sorrio-lhe de volta.

- Então, o que vos traz aqui? - Pergunta ela, fazendo sinais para nos sentarmos no seu enorme sofá

Sento-me e reparo que ela sabe mesmo fingir de falsa. Não gosto nada, nada, dela!

- A Chelsea estava a sentir-se mal, portanto pedi-lhe para vir tomar um chá e como querias falar com ela, trouxe-a e fazemos tudo já. - Diz ele

Ela sorri, de novo. Fingida!

- Mas é claro! Então é melhor chamar a Babs, para fazer o chá para a Chelsea, não queremos que ela vomite. - E termina a fala com uma gargalhada forçada

Finjo que teve graça e dou uma pequena risada. Quero muito ir embora.

- Babs! - Grita ela

Oiço uns pés a correr pela casa e de repente, vejo a cara amigável da Babs, a criada da família já de muitos anos.

- Sim, minha senhora? - Diz ela, educadamente

- Poderia preparar um chá para a menina Chelsea, por favor? Ela está um pouco enjoada. - Pede ela

- Sim, minha senhora. - Diz ela, preparando-se para ir embora

- Espere, Babs! - Digo, levantando-me - Acho melhor ir para a cozinha com a Babs, para vocês poderem falar um pouco a sós. 

Levanto-me e sigo a Babs até à cozinha.

- Olá, menina Chelsea! - Diz ela, com um sorriso - É tão bom vê-la por cá!

Sorrio-lhe e abraço-a carinhosamente. Gosto muito dela!
- Obrigada! Também gosto muito de si.

Ela sorri e começa a mexer nos armários à procura de chá e quando dou conta, ela já está a encher o bule com água quente e a colocar o chá.

- Chá de limão com gengibre, parece-lhe bem? - Pergunta ela

- Ótimo! - Porque não estou enjoada

De repente, fico um pouco curiosa e acho que devo aproveitar a oportunidade. Encosto a porta da cozinha e reparo que na sala, o Liam e a mãe dele falam um com o outro num tom relativamente alto.

- Então, Babs, já trabalha aqui há muitos anos? - Começo o inquérito

Ela sorri-me, como sempre.

- Sim, comecei a trabalhar aqui quando o pai do menino Liam ainda era um rapazinho. - Revela ela - Não quer já o seu chá?

- Gosto dele mais frio. - Digo - E gosta do que faz? Gosta de servir uma família tão célebre?

Ela franze o sobrolho, mas continua a conversa.

- Sim, sim adoro o meu trabalho. Às vezes tem as suas horas, mas nunca ninguém me tratou mal. - Diz ela

- Então quer dizer que conhece o Liam desde que ele ainda andava de fraldas? - Pergunto

- Sim, sim! O menino Liam sempre foi muito especial, foi o primeiro que eu vi nascer. - Diz ela, sentando-se com um grande sorriso

- E então quer dizer que também conhece muito bem a mãe dele, já que trabalha para a família há tanto tempo. - Pergunto ainda mais curiosa

Ela fica um pouco calada.

- Bem, hum, podemos dizer que sim. Ela lá tem os mistérios dela, mas sim, até a conheço bem. 

Bingo! Era aí que eu queria chegar. 

- Os seus segredos? Pensava que ela não é uma dessas mulheres. - Digo 

- Bem, todas as mulheres têm um segredo que não gostam de contar a ninguém. A menina também é uma mulher, por isso acho que me compreende. - Diz-me ela

Lembro-me do beijo com o Jordan e concordo com a Babs.

- Sim, compreendo. Mas acha que a mãe do Liam é boa pessoa? Gosta dela? - Pergunto

Ela olha para mim com um ar sério. Acho que exagerei um pouco!

- Bem, tenho de gostar ou era despedida. Se o senhor Flinn estivesse vivo nunca seria despedida, mas agora é diferente, ela é a chefe. -  Diz-me ela, deitando o chá numa caneca

- Pois. - Resolvo parar, pois acho que estou a abusar da confiança

Bebo o chá muito rapidamente. A Babs também bebe uma caneca de chá.

- Hum, meninas, já acabaram o chá? A minha mãe gostava de falar contigo, Chelsea. - Diz-me o Liam

Acabo o chá e despeço-me da Babs. 

- Liam podes-nos deixar a sós? - Pergunta a mãe dele, quando chego à sala

Ele dá um beijo na bochecha à mãe e vai para a cozinha. 

- Então, Chelsea, já te sentes melhor? - Começa ela

- Sim, um pouco. - Digo - O que queria falar comigo?

Ela faz um sorrisinho. 

- Está a gostar das suas primeiras semanas? - Pergunta-me ela, muito séria

Engulo em seco. Pensava que era melhor, mas também ainda não fiz nada muito a sério.

- Sim, estou a gostar! Mal posso esperar pelo primeiro desfile. - Digo

Ela dá uma risada e olha para a porta da cozinha.

- Pois claro. - Sussurra ela - Mas sabes que podes não chegar lá, não sabes?

Fico calada a olhá-la nos olhos.

- Sabes que podes sair ainda hoje dos estúdios, não sabes? Por causa da tua dieta, onde não respeitas nada que gente mais importante te diz para fazer. És rebelde. E nós não gostamos de rebeldes. - Diz ela, dando ênfase no "não gostamos"

Olho-a sempre nos olhos e de repente começo a rir-me. Ela olha para mim com um ar espantado.

- Olhe, vamos agora ser honestas, Francine. - Digo, lembrando-me do nome dela - Eu não gosto de si e você não gosta de mim, nem um pouco. Por isso vamos deixar de fingir que gostamos uma da outra apenas para agradar. E se me quer despedir, força, faça o que quiser, porque vou sair de cabeça erguida. É melhor expulsar-me já do que andar a enrolar para me despedir mesmo antes do desfile. Eu sei que você pode ser muito rica, poderosa, uma cobra... Quero lá saber! Mas saiba que se me ferir, eu sou ainda pior do que você.

Ela fica a olhar para mim, um tanto surpreendia. Sinto um pouco de adrenalina no meu sangue. 

- Ah! Ok! Concordo. - Diz-me ela com os olhos brilhantes - Mas é assim, o Liam adora-te, acho que é a pior coisa que ele já fez. Mas mesmo assim, acho que ele merece ser feliz, por isso, vamos fingir que tudo está bem entre nós.

- Eu não quero fingir mais nada consigo, Francine. - Digo-lhe - Se quer alguém que lhe obedeça, contrate uma criada.

- Tenho a Babs!

- A Babs não é nenhuma escrava e não vou deixar que lhe faça nada. Contrate outra pessoa.

Ela dá uma gargalhada.

- É assim, Chelsea. Eu compreendo que você quer tentar ser alguém aqui. Mas agora vai fazer tudo o que eu lhe mandar.

Agora é a minha vez de rir.

- A sério? E o que tem você para me obrigar a fazer isso?

Ela parece ficar radiante.

- Isto, minha querida Chelsea.

Ela tira o telemóvel das mãos e mostra-me uma foto. 

Fico paralisada.

Na foto, estou eu e o Jordan à porta do meu prédio a beijá-lo.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

 

12
Fev18

"Fama" - Capítulo XVI

João Jesus e Luís Jesus

Levanto-me bem cedo, pois quero sair à rua para apanhar um pouco de ar fresco sem que os papparazis me vejam. A Dianne não quer ir e pede-me por tudo, para que eu não me ponha em confusões.

Pff! Alguma vez me meti em confusões?! 

Saio de casa, acho que vou correr um pouco, pois antes gostava de correr bem cedo. Coloco o meu telemóvel e a carteira no bolso. 

Corro pelas ruas vazias, sem nenhum barulho da cidade. É de admirar ainda não estarem por aí os fotógrafos e etc...

Após quase uma meia hora de corrida, reparo que as ruas começam a encher como o habitual. Estou faminta, então procuro um café com poucas pessoas, para comer algo rápido, pois tenho de voltar para casa e ir para os estúdios.

- Um cappucino e um croissant simples, por favor. - Peço no balcão

A senhora fica paralisada a olhar para mim e eu sorrio-lhe amigavelmente.

Sento-me numa mesa longe das janelas e vejo que a senhora está a preparar o meu café. Oiço alguém a entrar no café.

- Um latte e uma tosta mista, estou faminto. - Diz um homem

Olho e algo explode dentro do meu coração. É o Jordan! Tinha de vir logo a este café.

- Oh! Olha quem está aqui. - Suspira ele, quando me vê

- Olá Jordan. O que fazes aqui? 

Reparo que ele tem uma t-shirt e uns calções de corrida e a t-shirt está quase totalmente suada. Foi correr, como eu.

- Corrida matinal. Fico em forma e eu gosto. - Diz ele, puxando uma cadeira e sentando-se perto de mim - Agora é só coincidências, hum Chelsea? Batemos um contra o outro, corremos os dois de manhã e lanchamos no mesmo café? Será o destino?

Reviro os olhos.

- Cala-te!

A senhora chega perto de nós, a tremelicar com os nossos pedidos nas mãos.

- Aqui está, minha senhora. - Diz ela, eufórica - E aqui está, Jordan.

Olho para o Jordan! Ele deve vir cá lanchar muitas vezes.

- Obrigado Freda! Eu pago também o pedido da menina. - Diz ele com um sorriso

- Nem pensar!

Ele coloca-lhe o dinheiro na mão e eu desisto. Mas a Freda aproxima-se de mim com um sorriso.

- Gosto muito do seu trabalho, senhora. - Revela ela, muito envergonhada

Sorrio-lhe.

- Chame-me Chelsea. E obrigada pela simpatia.

Ela estende-me um papelzinho com perfume, com um sorriso e com a mão a tremer imenso.

- Por favor.

Pisco-lhe o olho. Não sou tão famosa assim, para me pedirem um autógrafo, mas ok!

- Aqui está! Mais alguma coisa? - Digo amigavelmente

Tiro uma foto com ela e ela despede-se de nós, quase tropeçando nas cadeiras das outras mesas.

- Ai que boa samaritana, Chelsea! - Goza o Jordan

Olho para ele e ele beberica o seu café com um ar de riso na cara.

- Engasga-te. - Brinco

Bebo o meu café e como o meu croissant rapidamente.

- Bem, até logo. - Digo, levantando-me

- Espera! Ao menos, levo-te a casa! Uma estrela como tu não pode andar assim na rua. - Diz ele, levantando-se imediatamente

- Ai, ai! Está bem!

Saímos do café e eu aceno a Freda, que fica corada e corre para o telemóvel, para provavelmente ligar a algumas amigas.

Andamos até ao meu prédio, calmamente.

- Então, estás a gostar desta nova vida?

- Estou a habituar-me, mas não é fácil. - Revelo

- É verdade.

Continuamos a andar calados. Os carros já começam a andar pelas ruas. 

Chegamos a minha casa um pouco depois e paro na entrada.

- Obrigada por me acompanhares! Não era preciso, mas ok! - Digo-lhe

Ele sorri.

- Estou a tentar desculpar-me por algumas maldades que fiz antes. Agora mudei, juro! - Diz ele

Aproximo-me um pouco e olho-o nos olhos.

- Eu acredito em ti e desculpo-te. Mas ouve o que eu te digo! - Digo agarrando-lhe no braço - Se tentares mais alguma vez...

De repente, ele beija-me e eu calo-me. Fico apenas quieta, mas de súbito, empurro-o para trás. 

Ele olha para mim com um ar sério.

- Eu tenho namorado, o Liam. - Digo, envergonhada

Ele fica também envergonhado.

- Desculpa. Aconteceu. Prometo que nunca mais volta a acontecer.  - Diz ele - Vemo-nos nos estúdios.

Aceno-lhe e ele começa a correr, para longe.

De repente, olho para todos os lados. Não sei porquê, mas parece que tinha visto flashes. Mas não está ninguém por perto.

Ignoro e subo para o meu apartamento.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL