Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

18
Dez17

"Fama" - Capítulo X

João Jesus e Luís Jesus

fama.png

Acordo e a primeira coisa que me passa pela cabeça é: "Onde é que eu estou?".

Olho em volta e de repente, lembro-me. Estou em Los Angeles! Não era um sonho...

Agarro no meu telemóvel, com cuidado para não acordar a Dianne e vejo as horas. São nove e meia da manhã. 

Oh não! Estamos atrasadas! Já devia estar à meia hora nos estúdios!

- Dianne! Acorda depressa! - Grito-lhe abanando-a

Ela acorda e olha para mim.

- Que é? - Grunhe 

- Estamos muito atrasadas! - Digo, enquanto me visto

Ela levanta-se imediatamente e começa a vestir-se.

Comemos algumas coisas rápidas e descemos muito rápido. O motorista ainda está à espera cá fora.

- Desculpe o atraso, senhor. - Digo

- Não faz mal. É normal. - Diz ele, calmamente

A Dianne fecha a porta e o motorista arranca imediatamente o carro. 

Chegamos aos estúdios muito rapidamente e dirigimo-nos ao estúdio que nos foi indicado ontem à noite. 

Entramos e a grande multidão faladora, cala-se de imediato e olham muito sérios para nós.

- Atrasadas logo no primeiro dia. - Diz uma senhora que eu não conheço

- Desculpe. - Digo

- Arranjem uma mesa e ouçam com atenção o que vou dizer. - Diz ela

Sento-me numa mesa com a Dianne. 

A mulher apresenta-se e diz que se chama Tam. Ela vai ser responsável pelas dietas e exercício físico de todos os modelos.

No fim da sua enorme explicação, ela diz que agora iremos para o ginásio para começar com os treino.

Entro no ginásio que é enorme. Nunca vi um ginásio tão completo em toda a minha vida. 

- Quero já todos no chão a fazer 40 flexões sem parar e depois de seguida 50 abdominais. Sou eu que os conto. - Diz ela aos berros - Comecem.

Ela começa a contar em voz alta e temos de obedecer ao seu ritmo. Chego ao final das flexões com uma enorme dor nos braços.

- Cinquenta abdominais, já! - Grita ela

E começa a contar outra vez. Temos de acompanhar sempre o ritmo da sua contagem e espero não errar uma vez.

De repente uma miúda pára de fazer o exercício e a Tam obriga-a a ficar em posição de prancha durante o resto do exercício. Coitada! Ela conta cada vez mais devagar, para que a outra menina fique em prancha o maior tempo possível.

Depois dos abdominais ela submete-nos a uma exaustiva corrida e de seguida a levantamento de pesos.

Acabo a aula estafada. Reparo que já é hora de almoço. Ela manda-nos para o chuveiro e de seguida, vamos todos para o refeitório.

- Daqui em diante todas as vossas refeições têm de ser à base de frutas, alguns lacticínios, sempre que possível light, pois têm de perder algum peso para poderem ser modelos. Quando acharmos que alguém já não necessita de mais dieta, mandamos parar, até lá, ninguém pode parar a dieta. Percebido? - Grita ela

- Sim. - Respondemos todos

Ela dá-nos ordem de começarmos a comer. Corremos para as bancadas de comida. Tem lá todo o tipo de alimentos. FIco de boca aberta quando vejo batatas fritas.

- Acho que já percebi o que eles querem com isto. Eles estão a ver o que nós escolhemos para comer. Se respeitamos a dieta ou não... - Sussurra-me a Dianne

Agarro num tabuleiro e coloco num prato um pouco de salada, uma massa de carnes que me parece deliciosa, sopa e de sobremesa, um gelado de baunilha.

- Acho que é melhor não levares isso, Chelsea. - Diz-me a Dianne

- Sou eu que decido o que como, não são eles. - Digo convencida

E é verdade! Não é preciso ser um palito para ser bonita! Preciso é de me sentir bem e não me sinto bem a obrigarem-me a comer o que não quero.

Como a minha refeição e quando me preparo para ir embora, oiço uma voz.

- Menina Chelsea, faça favor de comparecer dentro de uma hora no estúdio dos desfiles de moda. Obrigado. - Diz uma voz nos altifalantes

Bufo. Estou feita!

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

29
Out17

"Borboleta"

João Jesus e Luís Jesus

butterfly-1757511_1920.jpg

 Pousou levemente no parapeito de uma janela. 

O pôr-do-sol estava a acontecer. A noite estava a chegar. 

Olhou para o horizonte. O seu dia, a sua vida, o seu voo estava prestes a acabar.

Fora um dia magnífico! Fora uma vida curta mas espetacular. 

O sol escondeu-se atrás das colinas. O espetáculo tinha terminado.

Levantou voo, reparando que no parapeito que tinha pousado, um menino se preparava para a apanhar. Riu-se dele. Não a iria apanhar.

Voou para tentar apanhar o sol. Para viver como ele. Para todos os dias ver o mundo e nunca perder o nascer e pôr-do-sol. 

Continuou a voar, batendo as suas asas muito rapidamente. Iria apanhá-lo. Queria fugir com ele.

As asas doiam cada vez mais. Mas não desisita, continuava a voar até ao horizonte.

O céu começava a ficar escuro. Mas nem assim ela parava.

Começou a sentir-se cansada. As asas falhavam de vez em quando. Mas ela estava quase! Só mais um esforço e apanhava-o.

As asas ficaram como mortas. Caiu ao chão. 

Dorida, conseguiu ainda olhar para o horizonte uma última vez. Viu os últimos raios de sol ainda a espreitarem.

Despediu-se do sol e voou para a morte.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

03
Out17

"Nas Nuvens"

João Jesus e Luís Jesus

sunset-2617063_1920.jpg

 O avião levantou voo subitamente e Lea assustou-se.

Era a primeira vez que ia de avião. E ela não estava a gostar! 

Era um barulho enorme e o avião tremia por todos os lados.

Assustada, resolveu fechar os olhos e esperar que tudo passasse.

De repente, o barulho parou. Já não sentia o vibrar do avião, o barulho diminuia  e ela já não sentia medo.

Abriu os olhos e olhou pela janela. O que viu deixou-a encantada.

Via as casas diminuirem cada vez mais. Pareciam as casinhas de LEGO que ela fazia quando era criança.

Ao ver as casinhas e todos os campos, pensava no que todos podiam estar a fazer.

De repente, as casas desapareceram. Não via nada, estava tudo branco. 

Já sabia onde estava! Estava nas nuvens! Estava a atravessar as nuvens!

Conseguiu ver o sol lá em cima e quando olhou para baixo, via uma grande camada de nuvens brancas e fofinhas. 

Afinal, gostava de andar de avião. Pois conseguia ver o mundo na sua melhor perspetiva.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL