Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

04
Mar18

"Seco"

João Jesus e Luís Jesus

nature-3083523_1920.jpg

Era a quarta vez da semana que ele ia aquele sítio.

Com a sachola nas costas, cambaleava até ao poço que abastecia a sua pequena e humilde casa. 

Já era velho, mas a força não lhe faltava. Cerrou os dentes e puxou a tampa do poço de imediato. Com receio, olhou para dentro do poço.

O coração caiu. Já não tinha nada. O poço tinha finalmente secado. Nem uma gota sobrava no fundo do poço.

Ajoelhou-se, derrotado. Sabia que ia acontecer, mas não estava preparado. Ia morrer à sede, juntamente com a sua mulher e filhos.

Fechou a tampa do poço. Atirou a sachola para algum sítio qualquer. Já não queria fazer mais nada.

Entrou em casa e atirou-se para a sua cama já velha e muito usada.

- O que se passa? - Perguntou a mulher vinda da cozinha

Não lhe respondeu. Não queria dizer que iam morrer.

- O que se passa?

Olhou para ela e ela descobriu tudo através dos olhos do marido. Fugiu para a cozinha com os olhos cheios de lágrimas.

Não conseguia dormir. Ficou apenas parado na cama, enquanto ouvia os sons dos pássaros lá fora. A mulher não fez mais nada. Não tinha água para cozinhar, não tinha mais nada. Ficou apenas a olhar para o mundo fora de casa.

Ouviu os filhos a chegar e a irem ter com os pais. Mas eles nada lhe diziam. Não tardou muito até estes perceberem.

Chegou a noite. Ainda continuava igual. Sentia-se desiludido. Sentia que podia ter feito alguma coisa, mas não fez. 

Fechou os olhos e apenas rezou. Rezou para que Deus não os deixasse morrer assim. Rezou para que tivessem água em abundância para poderem sobreviver. 

A mulher deitou-se na cama sem dizer uma palavra. Os dois adormeceram após algum tempo.

A meio da noite, acordaram. Sentiam algo estranho. Algo estava por vir.

De repente, um som de um trovão ecoou no ar. Levantou-se de imediato e saiu a rua, com a mulher atrás.

Uma chuva miudinha começava a cair. O coração encheu-se de alegria e abriu os braços debaixo da chuva, que agora era mais forte. 

Estava a chover. Não iam morrer.

E todos dançavam debaixo da chuva.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL