Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

28
Jun16

"Au, au, arf, arf!"

João Jesus e Luís Jesus

Vou contar a história de uma pequena cadelinha que atravessou tudo e mais alguma coisa até mim. Essa cadela chama-se Nina.

                Era um dia chuvoso, quando cheguei a casa e saltei do banco do carro da minha tia, tudo mudou. De repente, uma cadelinha pequenina e amarela cumprimentou-me com um saltinho até à barriga, como se já me conhecesse. Estranhei com aquele ato, porque não conhecia aquele cão de lado nenhum e ele já sentia um grande afeto por mim. Mandei-a embora e ela, muito triste, lá foi.

                Depois do jantar, ouvi uns guinchos lá fora. Eu e a minha família saímos assustados, para ver o que se passava. Foi então que reparei que uma cadelinha amarela tentava entrar em minha casa pelo portão fechado. Não consegui ver muito bem porque é que ela queria tanto entrar, mas de repente vi duas cadelas cá da aWP_20150702_13_46_28_Proldeia a correr com os dentes de fora, prontas para morder a jovem cadela. Muito depressa, a cadela passou por entre as grades do meu portão e conseguiu entrar, escondendo-se na minha varanda.

                A pobrezinha tinha as patas em sangue, de tanto andar até minha casa. Devia ter vindo de longe! Fiquei logo apaixonado por ela, mas o meu pai desconfiava que aquela cadela fosse de um primo meu, que tem muitos cães. Chamamo-lo a nossa casa e ele afirmou que aquela cadela não era dele. Fiquei contente, pois podia tratar dela durante uns tempos. Mas, de repente, como se um raio a tivesse atingido, a cadela fugiu para dentro de minha casa. Correu até à porta de saída do corredor e ficou lá deitada. Bem tentei tirá-la dali só com uns barulhinhos, mas ela recusou-se a sair. Então fiz o que ela queria. Peguei nela ao colo e levei-a lá para fora. Mas, na cadeira da minha cozinha, estava a minha gata que apanhou um susto tremendo ao ver a cadela e desatou a bufar.

                Ao contrário da gata, a cadela lambeu-lhe o focinho. Fiquei surpreendido e levei-a lá para fora. Depois de muita conversa, lá resolvemos que a cadela podia passar uma noite na nossa varanda, porque se fosse lá para fora, era capaz de levar umas boas dentadas.

                Passaram-se dias e semanas, e a cadela continuou connosco. Como estava muito magrinha começamo-la a alimentar. Então começamos a inventar um nome para lhe dar, porque a cadela era muito nossa amiga. Entre um monte de nomes, escolhemos Nina, que lhe assentou que nem uma luva.

                Passadas algumas semanas, lá fizemos questão de a “adotar”. Toda a família gostou (e gosta) dela. Porém, uma coisa que eu odiava e continuo a odiar, é o facto de ela não se calar à noite. Passamos várias noites em branco, pois ela sentia alguma coisa e desatava a ladrar como louca. Um dia, a minha gata ia ter uns filhos. Durante a noite teve 3 lindos gatinhos e um morto. Passados alguns meses, dois dos três gatinhos morreram e passados mais alguns meses morreu a mãe gata. Sobrou uma linda gatinha, chamada Pequenina, porque era mesmo pequena. A Nina ficou logo encantada com ela e começaram as duas a dar-se muito bem.

                Ainda hoje, a Nina está em minha casa, saudável e muito feliz com a Pequenina. Porém, continua o mesmo fado. “Au, au! Arf, arf!”. Sinceramente, não suporto aquilo, mas adoro ouvi-la.

                Por isto, aprendi uma coisa: não importa de onde ela veio ou como ela foi, o que importa é que ela agora está comigo e não tenciono deixá-la ir embora! Não me interessa o facto de ela já ter sido vadia, o que interessa é que ela agora tem uma casa e está feliz!

assinatura-jj

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL

Ranking