Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

19
Fev18

"Fama" - Capítulo XVII

João Jesus e Luís Jesus

Caminho pelas ruas de Los Angeles de mão dada com o Liam.

- Ok, mas aquele sushi estava maravilhoso! Adorei. - Diz-me ele

Sorrio. Por acaso até gostei de provar o meu primeiro sushi naquele restaurante, que claro, era caríssimo e de luxo.

- Por acaso, até gostei. Pensava que ia saber mal. - Declaro - E o wasabi nem era assim tããão picante!

Ele começa a rir.

- Fogo, eu tive de beber dois litros de água. - Diz o Liam entre gargalhadas

Continuamos de mãos dadas pelas ruas movimentadas de Los Angeles. De repente vem-me à mente os acontecimentos da manhã, onde o Jordan me beijou à porta do meu prédio.

Tento esquecer isso, mas fico um pouco nervosa e sinto que as minhas mãos estão suadas. 

- Então? Tens as mãos todas suadas! - Diz-me ele, limpando a mão nas calças

Tento sorrir um pouco.

- Estou um pouco enjoada. - Minto

- Foi do sushi? - Pergunta ele, preocupado

- Não, não! Nada disso! Estou apenas a sentir-me um pouco estranha. - Minto outra vez

- Então, porque não vamos a minha casa? Podes tomar alguma coisa, tipo um chá e assim! E a minha mãe quer muito falar contigo, por isso são dois em um. - Propõe ele

Oh raios! A mãe dele, não! Não quero ir, não quero ir, mas também não o quero decepcionar!

- Pode ser, mas tem de ser rápido! Amanhã é um longo dia! - Digo

Ele sorri. 

- Então, vamos! - Ele abre a porta do carro e eu entro

Enquanto ele conduz para a mansão mais cara de Los Angeles, eu verifico o meu telemóvel. Tenho duas mensagens da Dianne a perguntar se está tudo bem e eu mando-lhe um simples "Sim", pois ela já sabe que lhe conto tudo no fim do dia. 

Porém sinto a falta de algo. Sinto a falta de uma pequena notificação de alguém que detestava imenso, mas que agora já nem sei o que achar dessa pessoa. O Jordan. Até começava a gostar dele, mas tenho namorado e está a ficar tudo complicado agora!

Bloqueio o telemóvel e vejo que já chegamos a casa do Liam. De noite ainda é mais deslumbrante, toda iluminada, com a sua enorme piscina e jardim misterioso. Tenho inveja daquela casa.

Saio do carro e o Liam dá-me a mão novamente. Sinto-me um pouco mais segura. 

Entramos e um delicioso cheiro a baunilha invade-me as narinas. 

- Oh Liam! - Diz a mãe dele, quando dá pela nossa presença - E Chelsea! Que agradável ter-te aqui.

Ela beija-nos na cara e faz-me um sorriso muito forçado para o meu gosto. Sorrio-lhe de volta.

- Então, o que vos traz aqui? - Pergunta ela, fazendo sinais para nos sentarmos no seu enorme sofá

Sento-me e reparo que ela sabe mesmo fingir de falsa. Não gosto nada, nada, dela!

- A Chelsea estava a sentir-se mal, portanto pedi-lhe para vir tomar um chá e como querias falar com ela, trouxe-a e fazemos tudo já. - Diz ele

Ela sorri, de novo. Fingida!

- Mas é claro! Então é melhor chamar a Babs, para fazer o chá para a Chelsea, não queremos que ela vomite. - E termina a fala com uma gargalhada forçada

Finjo que teve graça e dou uma pequena risada. Quero muito ir embora.

- Babs! - Grita ela

Oiço uns pés a correr pela casa e de repente, vejo a cara amigável da Babs, a criada da família já de muitos anos.

- Sim, minha senhora? - Diz ela, educadamente

- Poderia preparar um chá para a menina Chelsea, por favor? Ela está um pouco enjoada. - Pede ela

- Sim, minha senhora. - Diz ela, preparando-se para ir embora

- Espere, Babs! - Digo, levantando-me - Acho melhor ir para a cozinha com a Babs, para vocês poderem falar um pouco a sós. 

Levanto-me e sigo a Babs até à cozinha.

- Olá, menina Chelsea! - Diz ela, com um sorriso - É tão bom vê-la por cá!

Sorrio-lhe e abraço-a carinhosamente. Gosto muito dela!
- Obrigada! Também gosto muito de si.

Ela sorri e começa a mexer nos armários à procura de chá e quando dou conta, ela já está a encher o bule com água quente e a colocar o chá.

- Chá de limão com gengibre, parece-lhe bem? - Pergunta ela

- Ótimo! - Porque não estou enjoada

De repente, fico um pouco curiosa e acho que devo aproveitar a oportunidade. Encosto a porta da cozinha e reparo que na sala, o Liam e a mãe dele falam um com o outro num tom relativamente alto.

- Então, Babs, já trabalha aqui há muitos anos? - Começo o inquérito

Ela sorri-me, como sempre.

- Sim, comecei a trabalhar aqui quando o pai do menino Liam ainda era um rapazinho. - Revela ela - Não quer já o seu chá?

- Gosto dele mais frio. - Digo - E gosta do que faz? Gosta de servir uma família tão célebre?

Ela franze o sobrolho, mas continua a conversa.

- Sim, sim adoro o meu trabalho. Às vezes tem as suas horas, mas nunca ninguém me tratou mal. - Diz ela

- Então quer dizer que conhece o Liam desde que ele ainda andava de fraldas? - Pergunto

- Sim, sim! O menino Liam sempre foi muito especial, foi o primeiro que eu vi nascer. - Diz ela, sentando-se com um grande sorriso

- E então quer dizer que também conhece muito bem a mãe dele, já que trabalha para a família há tanto tempo. - Pergunto ainda mais curiosa

Ela fica um pouco calada.

- Bem, hum, podemos dizer que sim. Ela lá tem os mistérios dela, mas sim, até a conheço bem. 

Bingo! Era aí que eu queria chegar. 

- Os seus segredos? Pensava que ela não é uma dessas mulheres. - Digo 

- Bem, todas as mulheres têm um segredo que não gostam de contar a ninguém. A menina também é uma mulher, por isso acho que me compreende. - Diz-me ela

Lembro-me do beijo com o Jordan e concordo com a Babs.

- Sim, compreendo. Mas acha que a mãe do Liam é boa pessoa? Gosta dela? - Pergunto

Ela olha para mim com um ar sério. Acho que exagerei um pouco!

- Bem, tenho de gostar ou era despedida. Se o senhor Flinn estivesse vivo nunca seria despedida, mas agora é diferente, ela é a chefe. -  Diz-me ela, deitando o chá numa caneca

- Pois. - Resolvo parar, pois acho que estou a abusar da confiança

Bebo o chá muito rapidamente. A Babs também bebe uma caneca de chá.

- Hum, meninas, já acabaram o chá? A minha mãe gostava de falar contigo, Chelsea. - Diz-me o Liam

Acabo o chá e despeço-me da Babs. 

- Liam podes-nos deixar a sós? - Pergunta a mãe dele, quando chego à sala

Ele dá um beijo na bochecha à mãe e vai para a cozinha. 

- Então, Chelsea, já te sentes melhor? - Começa ela

- Sim, um pouco. - Digo - O que queria falar comigo?

Ela faz um sorrisinho. 

- Está a gostar das suas primeiras semanas? - Pergunta-me ela, muito séria

Engulo em seco. Pensava que era melhor, mas também ainda não fiz nada muito a sério.

- Sim, estou a gostar! Mal posso esperar pelo primeiro desfile. - Digo

Ela dá uma risada e olha para a porta da cozinha.

- Pois claro. - Sussurra ela - Mas sabes que podes não chegar lá, não sabes?

Fico calada a olhá-la nos olhos.

- Sabes que podes sair ainda hoje dos estúdios, não sabes? Por causa da tua dieta, onde não respeitas nada que gente mais importante te diz para fazer. És rebelde. E nós não gostamos de rebeldes. - Diz ela, dando ênfase no "não gostamos"

Olho-a sempre nos olhos e de repente começo a rir-me. Ela olha para mim com um ar espantado.

- Olhe, vamos agora ser honestas, Francine. - Digo, lembrando-me do nome dela - Eu não gosto de si e você não gosta de mim, nem um pouco. Por isso vamos deixar de fingir que gostamos uma da outra apenas para agradar. E se me quer despedir, força, faça o que quiser, porque vou sair de cabeça erguida. É melhor expulsar-me já do que andar a enrolar para me despedir mesmo antes do desfile. Eu sei que você pode ser muito rica, poderosa, uma cobra... Quero lá saber! Mas saiba que se me ferir, eu sou ainda pior do que você.

Ela fica a olhar para mim, um tanto surpreendia. Sinto um pouco de adrenalina no meu sangue. 

- Ah! Ok! Concordo. - Diz-me ela com os olhos brilhantes - Mas é assim, o Liam adora-te, acho que é a pior coisa que ele já fez. Mas mesmo assim, acho que ele merece ser feliz, por isso, vamos fingir que tudo está bem entre nós.

- Eu não quero fingir mais nada consigo, Francine. - Digo-lhe - Se quer alguém que lhe obedeça, contrate uma criada.

- Tenho a Babs!

- A Babs não é nenhuma escrava e não vou deixar que lhe faça nada. Contrate outra pessoa.

Ela dá uma gargalhada.

- É assim, Chelsea. Eu compreendo que você quer tentar ser alguém aqui. Mas agora vai fazer tudo o que eu lhe mandar.

Agora é a minha vez de rir.

- A sério? E o que tem você para me obrigar a fazer isso?

Ela parece ficar radiante.

- Isto, minha querida Chelsea.

Ela tira o telemóvel das mãos e mostra-me uma foto. 

Fico paralisada.

Na foto, estou eu e o Jordan à porta do meu prédio a beijá-lo.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

 

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL