Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

21
Jul17

"Enquanto Corria"

João Jesus e Luís Jesus
fugir

O céu já estava a escurecer cada vez mais. Já se notavam uma ou duas estrelas no imenso véu azul escuro com algumas nuvens cinzentas.
Já havia pouca, ou quase nenhuma luz. Não se via quase nada.
Ouviam-se os sons dos veados, que saíam das tocas para procurar alimento. Os pássaros, aqueles pássaros medrosos, subiam para os seus ninhos para se reunirem com toda a sua família. 
Estava quase tudo calmo.
Um som de passos muito rápidos começou a ouvir-se. O veado escondeu-se, os pássaros calaram-se e foi aí que ele apareceu.
Um menino, com a cara suja da terra, arranhada pelos galhos pontiagudos das árvores. A sua roupa, talvez um pijama, estava quase completamente rasgada e não se conseguia distinguir as suas cores, devido à escuridão e à lama agarrada a ele.
Da sua toca, o veado viu que o menino aparentava ter medo. Não era um medo normal, ele estava apavorado. Os seus olhos estavam completamente abertos, a boca estava torta e com  os punhos cerrados, fazendo com que a suas unhas fizessem ferida na mão.
Duas lágrimas transparentes e gordas escorreram pela sua cara. 
- Tenho de... continuar! - Gemeu o menino
Recomeçou a sua corrida maluca. O veado decidiu acompanhá-lo sem ser visto.
O menino tropeçou num galho velho caído no chão. O veado teve pena dele.
- Raios! - Choramingou o rapaz
O veado sentiu o cheiro a sangue. O rapaz estava ferido, mas este não o ia ajudar, tinha medo.
O rapaz agarrou-se ao joelho e começo a chorar. De vez em quando, ouvia-se um ou dois gritos. O veado não percebia a razão do rapaz estar a fugir.
- Porquê? - Gritou esganiçadamente- Porque é que não consigo fugir a isto?
O veado não estava a perceber. A escuridão já era total e não conseguia distinguir as feições do rapaz.
- Porque é que não consigo fugir à tristeza? Porque é que ela me persegue sempre? - Gritou ele mais uma vez
O veado entendeu. O rapaz passou por algo muito triste e não sabia o que fazer.
O veado lembrou-se que o rapaz devia ter família, todos têm! Quem estaria mais triste? O rapaz ou os seus pais? 
Então, com vagar, o veado caminhou até ele pelo meio da escuridão até ao menino caído na terra.
O rapaz olhou para ele e um leve brilho de entusiasmo apareceu nos seus olhos. 
- Ainda bem que apareceste! Agora tenho alguém com quem falar... 
 
Calor

6 comentários

Comentar post

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL