Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

04
Set17

"Doentes" - Capítulo X

João Jesus e Luís Jesus

7b4453409f916b34832bfabdbe9792ea.jpg

 Sento-me rapidamente no banco do jipe.

- Estás a gozar comigo. - Digo-lhe

Ele sorri.

- Sabes bem que não. - Declara ele

Olho através do vidro e vejo uma cidade destruída e desconhecida para mim.

- Como fizeste a viagem toda até aqui em apenas uma noite? Estávamos a muito menos de metade do caminho!. - Pergunto surpreendido

Ele começa a rir.

- A Rhonda e o Russel têm uns amigos por estas bandas e eles ajudaram-nos com o jipe. Conseguimos andar muito, mas mesmo muito rápido. - Informa ele muito contente

- Até admira como não dei conta! - Digo

Ele olha para mim com um ar de gozo.

- Isso foi porque a Heather te injetou uns calmantes, para que dormisses até chegarmos. - Revela ele - E andamos durante três dias e tu dormiste esse tempo todo.

Fico pasmado.

- Fui o único a ser sedado? - Pergunto curioso

- Fizemos à vez, mas a Heather injetava-te sempre mais um bocadinho quando ninguém via. Essa rapariga ão te larga por nada! - Sorri

Rio-me um pouco. Dormi três dias! O quê?

- Sam, que dia é hoje? - Pergunto atacado

- Sexta-feira, porquê? - Diz ele normalmente

Levanto-me de imediato.

- Sam, nós temos de nos despachar! A Maggie está nos últimos dias de infeção! Temos de estar lá amanhã se a queremos salvar! - Digo rapidamente

O Sam fica sério rapidamente.

- Nem me passou pela cabeça! - Diz ele - Desculpa.

- Não faz mal, temos é de ser muito rápidos. - Digo

Saio do jipe e visto uma t-shirt e uns calções muito depressa.

A Heather está sentada numas escadas de uma casa em ruínas a ler um livro qualquer.

- Olá. - Digo-lhe

Ela olha para mim.

- Oh, finalmente! - Ela abraça-me - Estava a ver que nunca mais acordavas! Nunca mais na vida irei dar aqueles calmantes a alguém, são mesmo potentes.

Rio-me.

- Não sabes o que é passar três dias à beira da Rhonda! Ela cheira mesmo muito mal quando não toma banho, e é mil vezes pior comigo quando não come nada de jeito! - Revela ela largando-me

- Imagino.

Ela olha para mim e dá uma risota baixinho.

- Desculpa se estou a ser muito chata! Foram três dias horríveis! - Diz ela

Ela volta a sentar-se e abre o livro outra vez.

- Então, o que é isso? - Pergunto-lhe curioso

Ela suspira.

- Enquanto tu dormias, eu...e a Rhonda, encontramos este velho diário nos destroços do centro da cidade. - Revela ela - Não imaginas o número de referências que o tal homem faz à cura do vírus! São mesmo muitas. 

Sento-me perto dela.

- E pelo que está aqui escrito, a cura encontra-se na floresta da cidade, que fica mesmo ali! - Ela aponta para a nossa frente

Olho para a floresta. É escura, enorme e parece ser perigosa. 

- Tens mesmo a certeza que se encontra ali? Ali parece ser o esconderijo perfeito para um bando de Infetados. - Digo com receio - O que deve ser a cura? Uma flor? Um fruto?

Ela ri-se de mim.

- Claro que não é nada disso! E sim está lá de certeza! - Diz ela - Pelo que o homem do diário conta, há uma velha cabana no centro da floresta, e existe lá um velho que sabe sobre a cura, aliás, é ele próprio que a fornecia para as aldeias e cidades aqui próximas.

- E o que aconteceu a esta? - Pergunto

- O último registo do homem fala sobre uns membros do governo que queriam ter a tal cura e que como esta cidade era a que recebia mais cura e que tinha maior número de gente curada, eles vieram cá à procura dela. Acontece que ninguém lhes contou nada, pois os habitantes foram obrigados a jurar silêncio sobre ela e então, o governo decidiu bombardear em força esta zona e todas as outras que se recusaram dizer alguma coisa. - Revela ela

Fico surpreendido. A Heather estudou muito aquele diário!

- Então, parece-me que temos de ir procurar o homenzinho. - Digo

Ela levanta-se imediatamente.

- Aleluia! Estava a ver que ninguém dizia isso. Vamos! - Diz ela

Encontramo-nos com Sam e depois com o Gago, Rhonda e Russel. Todos concordam em irmos, mas alguém tem de ficar perto do jipe, para não corrermos o risco de sermos assaltados.

- Eu fico. - Diz o Gago - Vocês...são...muito...muito...mais fortes.

Concordamos e começamos a viagem até à floresta, que não é assim tão distante.

- Bem, é agora ou nunca. - Digo quando chegamos à entrada da floresta

A floresta é enorme, densa, alta, escura e transmite uma atmosfera perigosa e assustadora.

- Não deve ser assim tão perigoso. - Diz o Russel

- Vamos lá! - Decide a Rhonda, entrando na floresta

- Oh valha-me Deus! - Resmunga entre dentes a Heather

A Rhonda decide ir na frente e todos nós vamos atrás dela, entrando na floresta.

 

 

 

 

 

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL

Ranking