Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

21
Ago17

"Doentes" - Capítulo VIII

João Jesus e Luís Jesus

7b4453409f916b34832bfabdbe9792ea.jpg

 A Heather fica corada e parece que se quer esconder.

- Isso quer dizer que tiveram de matar a Rose no hospital? - Pergunta Sam com um leve tom de raiva

A Heather abre e fecha a boca várias vezes.

- Responde-me! - Grita o Sam

- Calma amigo! - Agarro-o

- Ela não sentiu absolutamente nada, nós apenas lhe colocamos um tipo de veneno no soro. - Revela a Heather - Mas vocês têm de perceber! Não sou eu que faço as regras! É obrigatório proceder assim em todas as mortes nos hospitais, eu apenas limitei-me a seguir as regras.

- Eu não aguento mais isto. - O Sam começa a correr para perto do lago

- Sam! - Chamo-o

Ele ignora e continua a correr.

Olho para a Heather. Ela está à beira de lágrimas.

- Desculpem. - Sussurra ela passando a mão nos olhos

Estou um pouco enervado com a Heather, mas ela não tem culpa! Nem me passava pela cabeça o que acontece depois da morte por infeção.

De repente, o Gago começa a gemer.

- O que se passa? - Pergunto-lhe

- A corda...a...a...aleija! - Gagueja ele

- A faca da tua amiguinha também me aleijou. - Digo-lhe - Se fossem de confiança talvez vos soltasse, mas como não são...

Eles calaram-se. 

- Podiamos fazer um acordo. - Propõe Russel

Olho para ele e começo-me a rir. As suas feições endurecem.

- Qual é a piada? Nós somos gente séria! - Diz a Doninha

- Fala a rapariga que tem nome de animal! - Gozo

Ela começa a resmungar.

- A sério, podiamos ter um tipo de parceria. Nós ajudávamos em força e vocês em comidas e coisas do género. - Continua Russel

Fico a pensar no que ele me acaba de dizer. É uma boa proposta, mas por outro lado, eles são muito traiçoeiros, aposto que quando virem uma oportunidade, degolam-nos enquanto dormimos.

- Vou pensar melhor nisso e além disso, tenho de falar com o Sam. - Digo-lhe

O Russel acena com a cabeça.

- É uma proposta justa e a única que vos faremos. - Diz a Rhonda

- Está bem princesa! Dorme e cala-te. - Digo-lhe

Ela faz-me um olhar malvado com o seu único olho.

A Heather decide ir dormir para dentro do jipe. Os meus olhos começam a pesar. 

- Acho que vou dormir. - Digo aos prisioneiros

- Dorme e nunca mais acordes. - Sussurra a Rhonda, mas suficientemente alto para que eu ouça

Retribuo-lhe com um sorriso malvado.

Olho para o lago. O Sam está lá com os pés na água.

Dirijo-me para o meu saco de cama e deito-me dentro dele. Adormeço de imediato.

- Dylan acorda! - Oiço

Abro os olhos e vejo a cara da Heather mesmo em cima de mim.

- O que se passa? - Pergunto

- Levanta-te rápido! Temos de partir! - Grita ela

Apercebo-me que se ouvem uns grunhidos estranhos vindos da floresta.

Levanto-me imediatamente.

- Temos de recolher as coisas rápido. Despacha-te! - Diz-me a Heather, ajudando-me com o saco de cama

- O que vem aí? - Pergunto curioso

Ela olha para mim preocupada.

- Infetados. - Revela

Paraliso. 

- Não são assim tão perigosos, pois não? - Pergunto com esperanças

Ela dá uma risada nervosa.

- São piores comparados ao pior predador do mundo. Eles estão a chegar, são muito velozes. - Diz ela rapidamente

Fico cheio de medo e arrumo as minhas coisas rapidamente. 

- O Sam? - Lembro-me

- Está a acabar de guardar as coisas na mala. - Declara ela - Vou arrumar o resto das coisas.

Ela corre para o acampamento e começa a ajudar o Sam.

Coloco as minhas coisas no carro.

- Ok, como se mata um infetado? - Pergunto à Heather 

- Não faço ideia. - Diz ela

- Então como nos vamos livrar deles? - Diz o Sam enervado

- À sorte. - Digo

Oiço a Rhonda a rir-se às gargalhadas.

- Qual é a piada, super-mulher? - Pergunta o Sam

- Vocês! - Ri-se ela

A Heather aproxima-se de Rhonda.

- Sabes como matar um infetado? - Pergunta ela

- Claro! - Confirma a Rhonda

A Heather olha para nós.

- E apetece-te contar-nos ou nem por isso? - Declara a Heather

- Nem por isso. - Diz a Rhonda

A Heather começa a rir-se.

- Sabes que quando eles vierem, nós já vamos bem longe e vocês ficam aqui para morrer, não sabes? - Avisa a Heather

- Isso não vai acontecer. - Diz o Russel - Nós protegemo-vos dos infetados em troca de liberdade e comida. 

O Sam olha para mim, assim como a Heather. 

- E como sabemos que vocês não nos vão trair? - Diz o Sam

A Doninha começa a mexer-se feita parva.

- Aí está lindinho! Não sabem. - Diz ela, desatando numa risada digna de um manicómio

- Louca. - Sussurra o Sam

Fico a pensar. Eles podem lixar-nos.

- Heather corta as cordas. - Digo

Ela fica perplexa.

- Eles vão matar-nos! - Diz a Heather

- É um risco que temos de correr. - Concluo - Liberta-os.

Devagar, ela corta as cordas.

- Ah! Sabe tão bem...es...estar solto. - Suspira o Gago

De repente, ouvimo barulho nas árvores. Ficamos em silêncio absoluto.

- Eles chegaram. - Diz o Russel

De repente, uma criatura cinzenta, com dentes enormes salta das árvores com um rugido.

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL