Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

31
Jul17

"Doentes" - Capítulo V

João Jesus e Luís Jesus
Doentes

 

- A sério, eu tinha tudo naquele carro! - Repete ela

- Acho que já percebi Heather! - Digo um pouco enervado

- Mas eu estou furiosa! - Resmunga ela
Paro e olho para ela. Estou estafado e sujo e não sou capaz de continuar a ouvir a conversa dela...
- Olha, eu também estou furioso com isso tudo, mas não estou sempre a falar do mesmo! Tem calma, devemos estar perto de população. - Acabo por dizer
Ela passa a mão pelos seus cabelos loiros e fixa os seus olhos enormes azuis nos meus.
- Ok! Pode ser que tenhas razão. - Concorda ela
Sorrio e continuamos a andar.As minhas pernas doem muito e para nem falar das costas, que parece que estão mergulhadas em lava. 
- É verdade, como estão as tuas costas? - Pergunta ela
- Estão quente! E doridas. - Revelo
- Se eu tivesse o meu carro...
- Ok! Se tivesses o carro podias fazer tudo e mais alguma coisa! O problema é que não tens. - Grito
Ela começa a rir-se. Está louca!
- Sou mesmo uma chata! - Revela ela - Não consigo ficar calada.
Rio-me um pouco e quando acabo de rir, reparo que tenho a garganta muito seca.
- Ainda tens água? - Pergunto
- Tu não tens a tua? A minha acabou à pouco. - Diz ela
- A minha está quente. - Declaro - Mas vai ter de ser...
Abro a mochila e bebo alguma água. Quero beber mais!
- Tem calma! Depois ficamos sem água, bebe pouco apenas para não desidratares. - Avisa ela aflita
Fecho a garrafa e volto a colocá-la na mochila.
Olho para o céu. Está quase a pôr o sol. Caminhamos durante um dia inteiro e só quero descansar!
- É melhor procurarmos sítio para dormir. Está a escurecer. - Digo
- Como vamos fazer para dormir esta noite? - Pergunta ela
- Como todos os dias. Deitas-te e fechas os olhos! - Rio-me
- Ok, mas aqui é uma zona selvagem, existem animais que nos podem rasgar a garganta à noite! - Diz ela assustada
- Dormimos por turnos. - Proponho 
- Concordo. E onde vamos dormir? - Pergunta ela
Olho em volta. Existe um espaço mais alto e sem árvores mais à frente.
- Ali à frente, assim podemos ver tudo o que vem debaixo e acender uma fogueira sem risco de incêndio. - Digo
- Então vamos lá! - Ela começa a correr para lá - Quanto mais depressa chegar, melhor!
Rio-me e corro atrás dela. Ela chega primeiro e quando chega ao meio do monte, deita-se no chão.
- Ufa! - Suspira ela
Sento-me perto dela e descalço as sapatilhas. As solas estão muito gastas da longa caminhada. Olho outra vez de volta e vejo que existe um pequeno lago muito perto, vai dar para tomar banho e se a água for boa, conseguimos encher as garrafas.
Falo com a Heather sobre tudo o que vi. Ela diz que vai ser a primeira a tomar banho e que eu fico com o primeiro turno.
Vejo-a a correr descalça para o lago. Quando ela chega, começa a tirar os calções e entra para a água com a t-shirt. 
- Não se olha assim para um rapariga! Ainda por cima quando se está a tomar banho! Olha para outro lado! - Grita ela
- Só por dizeres isso, vou ficar a olhar! - Grito-lhe
Ela começa a rir-se e de repente é puxada para baixo de água. Quando volta à superfície começa a gritar por ajuda.
Corro para ela muito aflito. 
- Heather! - Mergulho imediatamente
Ela volta à superfície quase engasgada de tanto rir. Está a gozar!
- Estúpida! - Rio-me e atiro-lhe com água
Ela volta a rir-se.
- És mesmo um parvo! - Ela ri às gargalhadas - E se estivesse aqui algo perigoso, não devias entrar na água!
- Estava preocupado! Assustaste-me! - Explico
- Ao que parece, ainda te preocupas comigo. - Diz ela
Volto a atirar-lhe com água. 
Mergulho debaixo de água. A água está gelada, mas sabe muito bem. Parece potável, por isso quando saio, encho as garrafas com a água.
- O que vamos comer? - Pergunta a Heather, saindo da água e vestindo os calções
- Existem ali algumas bagas comestíveis, eu tenho barras de cereais na mochila e com sorte, ainda apanho um esquilo ou dois. - Revelo
- Ótimo! Eu depois cozinho-os. Vai acendendo a lareira. - Diz ela - Tenho de tratar de assuntos femininos.
Rio-me e volto para perto das nossas coisas. Está tudo no sítio. 
Apanho alguma madeira e erva seca e acendo uma lareira bem boa. A Heather chega com algumas mangas que apanhou e eu caço um esquilo.
Já é noite, quando começamos a comer. O esquilo cheira muito bem.
- Cada um come metade. - Diz a Heather quando o tira da lareira
Agarro na minha metade de esquilo. Cresce-me água na boca. 
Enquanto como o esquilo, mastigo um pouco da barra de cereais e beberico água. No fim, lambo até os dedos que ficaram com algum molho do esquilo.
Acabo a refeição comendo uma fatia de manga e algumas bagas.
- Estou cheio! - Digo muito satisfeito
Ela levanta-se e suspira.
- Soube mesmo bem! Vou dormir. - Diz ela - Acorda-me quando for o meu turno, ok?
- Não te preocupes! - Conforto-a
- Até logo. - Ela deita-se no meu saco de cama, que eu por sorte tinha na mochila
Ela adormece muito rápido. Fico a contemplar a lareira. Está a ficar frio e a lareira está a fornecer-nos um bom calor.
De repente, oiço um barulho um pouco atrás da Heather, onde recomeça a selva.
Agarro num pau bem pesado e avanço até onde ouvi o barulho.
Chego ao lugar e olho em volta. Está tudo calmo. Calmo demais.
Volto ao acampamento a correr e preparo-me para acordar a Heather.
- Diz uma palavra e já eras. - Diz uma voz atrás da minha orelha
Sinto algo frio e pontiagudo perto da minha garganta.
 
Calor

6 comentários

Comentar post

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL