Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

10
Jul17

"Doentes" - Capítulo II

João Jesus e Luís Jesus
Perdidos

Atiro com uma cadeira pelo ar.
- Tens a certeza que não fizeste o diagnóstico errado? - Pergunto furioso
- É impossível não reconhecer o vírus à primeir....
- Repete! Repete até reconheceres que não é verdade! - Grito
Ela olha para mim com uma cara chorosa.
- Dylan, tu sabes bem que é o vírus. - Diz o Sam baixinho
Sento-me no chão e coloco os braços de volta das pernas. 
- O que vamos fazer sem vocês? - Digo com lágrimas a escorrer pelo rosto - Porque é que ainda não encontraram a cura? 
A Rose tira as luvas de médica das mãos e olha para mim enquanto ajeita o penteado.
- Dylan, conseguir descobrir as curas dos vírus demora anos, para não dizer séculos... E tens de continuar a viver a tua vida, mesmo que seja sem nós... - Diz ela
- Porque não contaste antes? - Diz o Sam rapidamente e com um tom de voz um pouco enervado
A Rose olha para ele e começa a ficar pálida.
- Oh Sam, tu já estás preocupado que chegue! Eu já disse que pensava que era uma febre. - Informa ela
- Devias ter contado! - Grita o Sam e sai porta fora
Ela senta-se na maca e começa a chorar. Quero levantar-me para a tentar tranquilizar, mas não consigo.
Passado um pouco, ela passa a mão pela cara, tentando parar as lágrimas e leva a mão à cara da Maggie. A Rose sorri quando lhe toca na cara e despacha-se a dar-lhe um beijo na cara.
- Dylan? - Diz ela voltando a beijar a Maggie
- Que foi? - Pergunto
- Dylan, temos de ir ao hospital! Rápido! - Diz a Rose apressada
- Que foi? Que se passa? - Digo levantando-me de imediato
- É a Maggie! Ela não está a respirar muito bem! - Diz ela
- Mas eu estou a ser procurado pela polícia. - Digo - Não podemos ir para o hospital!
- Existe um hospital perto daqui, eles recebem pessoas com problemas com a sociedade! - Diz ela pegando num objeto que ajuda a respirar - Despacha-te!
Ela diz o número muito rapidamente e eu peço uma ambulância.
Esta chega a casa rapidamente e levamos a Maggie. O Sam não está cá.
Chegamos ao hospital muito rápido e dizem-nos que a Maggie tem de ir depressa para as urgências e que temos de aguardar um pouco.
- O que achas que se passa? - Pergunto-lhe
Ela olha para mim com receio.
- Como ela ainda é uma criança, o vírus é mais forte nela, por isso ela está muito fraca. Vai ter de ficar aqui. - Declara a Rose
Olho para a frente. Não posso ficar sem a Maggie, ela é o meu maior tesouro.
Perto de uma hora depois, chega perto de nós uma médica, com um ar bastante jovem, quase da minha idade, com cabelos loiros, olhos verdes e bastante atraente.
- Temos notícias, mas não são das melhores! - Diz ela olhando para mim
- Diga. - Digo
Ela olha para a Rose e volta a olhar para mim.
- A vossa filha...
- Hum, nós somos amigos, eu sou a namorada do melhor amigo dele... E ela é irmã dele. - Diz a Rose atrapalhada
A médica arregala os olhos e faz um sorriso.
- A tua irmã, está infetada, mas acho que já sabem disso! - Diz a médica - Ela vai ter de ficar no hospital connosco.
Já estava preparado.
- Posso ir vê-la, doutora... 
- Oh, trate-me por Heather! - Diz ela
- Claro, Heather! Sou o Dylan. - Digo
- Pode ir vê-la. - Diz ela
- Obrigado.
Corro para o quarto que ela me indica.
Mal entro, vejo-a acordada na cama.
- Dylan! - Diz ela animada
- Oh minha piolha! - Abraço-me a ela
- A doutora disse que eu ia melhorar. - Diz ela alegremente
Paraliso. Mentiram-lhe.
- Claro que vais melhorar! - Minto
Não tenciono acabar com aquela mentira. Iria matá-la mais rápido.
Depois de uma boa hora com a minha irmã, uma enfermeira avisa-me que o horário de visitas acabou e preciso de sair.
- Até amanhã, minha peste! - Beijo-lhe a testa
Ela sorri e despede-se de mim.
Saio do quarto e vejo que a doutora está no corredor. 
- Olá...Heather! - Digo-lhe
- Oh! Olá Dylan? Ela está melhor? - Pergunta ela
- Um pouco. - Respondo - Obrigado por lhe mentir sobre a infeção.
Ela sorri. É um sorriso calmo e quente.
- De nada! Era o mínimo que podia fazer. - Diz ela - Ela é uma menina muito bonita.
Sorrio e sinto-me tentando a fazer a uma pergunta.
- Sabes da existência de alguma cura? - Pergunto esperançoso
Ela fica séria.
- Dylan, sabe que ainda não a encontramos. - Diz ela
- Ok, mas podias saber de alguma coisa que abrandasse o vírus...
Ela agarra-me no braço e leva-me até uma sala vazia.
- Ok, Dylan, existem relatos que existe uma cura, mas muito longe daqui! Até pode não existir, não vale o esforço... - Diz ela
De repente, sinto-me cheio de energia.
- Faço tudo pela minha família e a Maggie é a única coisa que eu tenho. - Digo - Tenho de encontrar a cura. Obrigado Heather.
Ela olha espantada para mim.

Calor

6 comentários

Comentar post

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL

Ranking