Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

21
Mai17

"A Despedida Daqueles Que Mais Amamos"

João Jesus e Luís Jesus
Amamos

Nesse dia, estava eu a chegar da escola e encontrei o meu pai, sentado no sofá a comer uma sandes de peru e queijo. Senti-me estranho! O médico tinha dito que o meu pai nunca ia voltar a ser o mesmo e que dali para a frente ia começar a ficar mais cansado e com mais dores, mas nesse dia, ele estava feliz e estava a ver Rugby na televisão.
Deduzi que ele estivesse melhor, mas continuei a olhar para ele.
- Não te sentas à beira do teu pai?- Disse ele
Estremeci.
- Claro! Vou só buscar umas bolachas à cozinha!
Fui buscar as bolachas e lembrei-me que uma vez, quando o meu pai começou a detetar vestígios de leucemia no seu corpo, o médico avisou-nos que o último dia de uma pessoa com cancro era conhecido como "o fim da dor". Era um dia em que a dor parecia suportável. Mas o meu pai estava a melhorar nos últimos dias, por isso não devia ser esse o seu último dia.
Sentei-me à beira dele e comentamos o jogo. O meu pai era um craque na comentação de jogos. Eu pelo contrário, não percebia e continuo a não perceber nada daquilo. A minha mãe entrou em casa e de repente, naquela cara de cansaço, apareceu um sorriso que eu já não via há muito tempo. Foi um fim de dia fantástico! Jogamos xadrez, contamos os últimos episódios das estupidezes da vida da bibliotecária e por fim fomos deitar-nos. Lembro-me de estar a subir as escadas e ouvir a minha mãe chamar o nome do meu pai duas ou três vezes. Dirigi-me à cozinha e vi a minha mãe a chorar com dois dedos no pescoço do meu pai. Percebi o que estava a acontecer. O coração do meu pai tinha parado com a alegria do seu último jantar.
Pelo menos morreu com um sorriso nos lábios.
O funeral estava cheio de pessoas que eu não conhecia de lado nenhum, mas todas me conheciam a mim e ao meu pai. Lembro-me que no discurso fúnebre, o senhor Joseph, um amigo do meu pai que também participava nas pescarias, disse que tinha acabado de ser pescado o rei dos peixes. Achei uma estupidez, mas ao menos fez alguma coisa.
Agora aqui estou eu, sozinho em casa.

Excerto do livro "Até que a Doença nos Separe"



João e Luís Jesus



Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL