Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

05
Fev18

"Fama" - Capítulo XV

João Jesus e Luís Jesus

- Escolhe tu primeiro. - Diz ele

Sorrio e entrego-lhe o menu.

- Insisto outra vez. Escolhe tu primeiro. - Digo ao Liam

Ele suspira e aceita o pedido. Ele passa os olhos muito rapidamente pelo menu e poucos momentos depois, chama os empregados pedindo alguma comida leve à escolha do chefe.

- Tu és um parvalhão, Liam! Nada que tu já não soubesses, claro... - Digo-lhe

Ele sorri-me e faz uma careta.

- Então, gostaste do filme?

Olho-o nos olhos. 

- Eu adorei o filme, não gostei foi do facto de ter a tua mãe lá a cada cinco minutos a vigiar-nos. - Resmungo

Ele faz um ar surpreendido.

- Tu sabes como ela é. 

- Pois sei! Controladora e bem sei que apesar de aparentar que gosta muito de mim, ela detesta-me. - Revelo, um pouco enervada

- Oh! Que estupidez! - Diz ele, olhando para outro lado

Enervada, agarro no meu novo telemóvel.

- Tens um telemóvel novo? - Pergunta ele, tentando mudar de assunto

- Tenho, porquê?

- Porque ainda ontem vi o teu telemóvel antigo e ele estava em perfeito estado. Não percebo o porquê de comprares outro. - Diz ele

Reviro os olhos. Hoje ele está particularmente chato.

- Acontece que hoje nos estúdios, o Jordan sem querer acabou com o meu lindo telemóvel. - Revelo

- Espera, o Jordan da tua universidade? - Pergunta ele desconfiado - Aposto que fez de propósito!

- Sim, esse! E juro que foi sem querer. Ele hoje até estava muito simpático. Nunca o tinha visto assim. - Declaro

Ele franze a sobrancelha. 

A comida chega um pouco depois e devoro-a toda. Ele paga a conta no fim e saímos do restaurante.

Corremos para a limusine, pois como sempre, os jornalistas perseguem-nos para todos os lados.

- Detesto jornalistas. - Revela o Liam já dentro da limusine

Chegamos ao meu apartamento e o Liam despede-se de mim com um beijo.

- Até amanhã. E desculpa por tudo. - Diz-me ele ao ouvido

Sorrio e beijo-o.

- Eu fui uma parvalhona esta noite. Até amanhã. - Digo

Saio da limusine e entro em casa.

- Que bom! Voltaste! Como foi? - Bombardeia-me a Dianne

Fico uma boa meia-hora no sofá enquanto falo sobre tudo com a Dianne, que como sempre me acompanha muito calada e a ouvir tudo atentamente.

- Preciso de dormir! Foi um dia cansativo. - Digo-lhe

- Ok! Eu compreendo! Até amanhã. - Despede-se ela com um sorriso

Visto o meu pijama e entro na minha enorme cama. Ligo o telemóvel e vejo que tenho uma mensagem.

Abro e fico espantada. O Jordan enviou-me uma mensagem por Facebook.

"Então? Já conseguiste o que precisavas?"

Respondo imediatamente e reparo que ele ficou online neste preciso momento.

" Sim, consegui! Amanhã devolvo o dinheiro que me emprestaste. Obrigado mesmo!"

Ele vê a mensagem e começa a escrever.

"Nem pensar! Fica com ele!"

Reviro os olhos. É sempre a mesma coisa.

"Nem pensar digo eu! Estou a dever-te um favor."

Ele responde muito rapidamente.

"Ok! Mas nada de devolver dinheiro. Quando precisar de algo, estás a dever-me uma."

"Ok."

As mensagens param e pouco tempo depois ele envia uma última mensagem.

"Ainda bem. Boa noite! Beijos."

Fico paralisada e surpreendida ao mesmo tempo.

Ele nunca, nunca foi assim.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

29
Jan18

"Fama" - Capítulo XIV

João Jesus e Luís Jesus

3 semanas depois

 

Subo para cima da balança e tento não olhar para o resultado. Detesto o dia da pesagem! Pior dia da semana inteira!

E até estava a conseguir a começar a adaptar-me a este mundo tão estranho. Quase metade das pessoas que vieram cá parar como eu, já desistiram e foram para casa.

- Sabes que isso não é bom. - Diz-me a Dianne perto de mim - Já podes descer da balança.

Ela anota o meu peso no caderninho habitual e olha-me por cima dos óculos.

- Quando todos começarem a perceber que tu não perdes peso, vão-te lixar. - Avisa ela

Reviro os olhos. Detesto essa regra da dieta.

- Tu bem sabes o que eu sou capaz de lhes dizer. - Digo, vestindo a roupa mais pesada que tirei para me pesar

- O mais provável é eles mandarem-nos daqui para fora se descobrirem e se ouvirem o que tu dizes. - Diz ela ajudando-me

Suspiro.

- Então hoje vais sair com o Liam? - Sorri a Dianne

Sorrio para ela. O meu relacionamento com o Liam está cada vez mais forte.

- Sim. Vamos ir ao cinema. - Digo - Ao cinema privado que ele tem em casa.

A Dianne ri.

-  Manias de gente podre de rica. - Suspira ela

Começamos a rir-nos e saímos da sala de pesagem.

- Buscas-me café, se fazes favor? - Pergunto-lhe

- Claro. Aproveito e busco para mim, estou a precisar. - Diz ela

Dou-lhe dinheiro e ela afasta-se.

Agarro no meu telemóvel e reparo que o Liam me mandou uma mensagem. Abro-a imediatamente com um sorriso.

"Pronta para o cinema? Depois escolhemos o filme. Beijos."

Sorrio e respondo.

"Claro que sim. Beijos!"

Envio a mensagem e quando me preparo para colocar o telemóvel na minha mala, algo bate contra mim. 

- Au!

O telemóvel voa da minha mão e estatela-se no chão e oiço o som de vidro a partir.

Levanto-me imediatamente e corro para o telemóvel.

- Raios! - Grito

O telemóvel está completamente partido. O ecrã nem consegue ligar-se.

- Obrigada por teres acabado com o meu telemóvel. - Digo, levantando-me

Viro-me para trás e fico paralisada.

- Oh Chelsea! Desculpa por isso. - Diz a pessoa que eu mais detesto no mundo

Jordan. O parvalhão da minha universidade que veio comigo para aqui.

- Claro que tinhas de ser tu, Jordan! - Digo revirando os olhos

Ele sorri enquanto coça o cabelo. 

- Estava distraído. - Desculpa-se ele

Suspiro.

- Não faz mal. Arranjo outro. Não deve ser assim díficil. - Digo, virando-lhe as costas

- Não! Espera aí!

Fico surpreendida. O Jordan nunca foi tão simpático.

- Eu estraguei o telemóvel, a culpa foi minha. Tenho de dar-te dinheiro...

- Nem pensar! 

- Eu insisto. - Diz ele, retirando um bom molho de notas da carteira - Isto deve chegar para um telemóvel mais resistente.

Ele sorri. Aceito o dinheiro e agradeço.

- Espera aí. É melhor levares o teu cartão de memória e o cartão SIM. - Ele agacha-se e retira os cartões do meu telemóvel - Toma.

- Obrigado Jordan! Acho que estar aqui te está a fazer bem. - Digo, estranhando

Ele sorri e dá uma gargalhada.

- Acho que agora me apercebi que era um parvalhão completo. - Diz ele, estendendo a mão - Desculpa por tudo.

Sorrio e aperto-lhe a mão.

- Estás desculpado. E a sério, não era preciso o dinheiro. - Digo outra vez

Ele pisca-me o olho e larga a minha mão.

- Eu insisto outra vez. Depois diz-me algo, acho que és minha amiga no Facebook. Envia mensagem. - Diz ele, despedindo-se

Ele afasta-se e eu fico ainda mais surpreendida. O Jordan nunca foi tão simpático. Nunca! 

- Cheguei. - Diz a Dianne, dando-me o meu café

- Tenho uma coisa para te dizer. 

Afastamo-nos e preparo-me para ir a uma loja de telemóveis perto daqui.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

15
Jan18

"Fama" - Capítulo XIII

João Jesus e Luís Jesus

Acordo com o barulho do meu telemóvel.

Agarro nele e fico nervosa quando vejo o nome de quem me está a telefonar. É a minha mãe!

Respiro fundo e atendo.

- Olá mãe. - Digo

- Aleluia Chelsea! Estava a ver que nunca mais falavas connosco! - Suspira a minha mãe

Reviro os olhos. A minha mãe sempre foi um pouco exagerada.

- E bem sei como não te atreveste a telefonar aos teus queridos pais depois do que aconteceu! É horrível saber coisas sobre os filhos por outras pessoas! - Guincha a minha mãe

- Mãe, calma! Ainda não tinha tempo! É muito cansativo e todos os dias são muito preenchidos. - Aviso

- Ai! Ok... Eu compreendo! - Diz - E ao menos estás a gostar disso?

Sorrio. 

- Até agora estou, mas claro que tem coisas irritantes, como tudo. - Informo

- Ai, ai! Ao menos promete que vais ter cuidado em tudo. - Suspira ela

- Vou tentar, não prometo nada.

Ouve-se um longo silêncio.

- Bem, é melhor que nada. - Grunhe - Beijinhos e porta-te bem.

- Igualmente. Tenho muitas saudades. - Despeço-me

- Se tivesses assim tantas vinhas cá ver-nos. - Ironiza

Começo a rir-me e despeço-me.

Desligo o telemóvel e encosto-o ao meu peito. Tenho saudades dos meus pais, da minha casa, do cheiro ao campo, da minha gata Mrs. Fluffy. Tenho saudades de uma vida sem preocupações.

Gostava de um dia voltar a casa, de passar uns tempos com a minha família no campo, a olhar para as grandes searas de trigo ao longe, dos campos dos agricultores e sentir aquele cheiro a terra molhada no ar.

Tenho saudades.

Fecho os olhos e os meus sonhos passam-se em volta dessas memórias.

 

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

08
Jan18

"Fama" - Capítulo XII

João Jesus e Luís Jesus

- Ai! Finalmente em casa. - Suspiro, assim que caio no enorme sofá do meu novo apartamento

Fecho os olhos. Estou tão cansada! 

- Ufa! Nem me posso mexer. - Diz a Dianne, sentando-se perto de mim

Fico quieta durante um grande tempo no sofá. De repente, o meu estômago começa a roncar.

Levanto-me, cheia de preguiça.

- Onde vais? - Pergunta a Dianne, baixinho

- Vou comer alguma coisa. - Digo

Ela olha imediatamente para mim.

- Lembra-te do que a Babuína te disse. - Avisa ela

Sorrio. Babuína foi o nome que demos à senhora que gritou comigo durante um bom tempo sobre os meus hábitos de alimentação.

Abro o frigorífico. Uau! Está cheio de coisas boas. Mas o meu sorriso desvanece-se, pois tudo que existe no frigorífico é light ou muito saudável, tudo dentro da dieta proposta.

Agarro num gelado se menta, claro, light! 

- Parece que hoje já andaram aqui a fazerem tudo para seguir a dieta à risca. - Digo, quando chego perto da Dianne - Só temos comida saudável cá em casa.

A Dianne ri-se.

O gelado até é delicioso, mas falta-lhe aquele sabor a coisa que não faz muito bem para a saúde. Sinto falta disso.

A Dianne coloca um dedo no gelado e come uma grande porção dele.

- Se queres vai buscar. - Brinco

A campainha toca.

- Urgh, quem será agora? - Diz a Dianne revirando os olhos

Levanto-me e abro a porta.

- Oh! Liam! Olá. - Digo sorridente

O Liam entra em casa com o seu enorme sorriso habitual.

- Olá Chelsea. Olá Dianne. - Diz ele 

Fecho a porta.

- Então, gostaram do vosso primeiro dia? - Pergunta ele curioso

A Dianne olha para mim.

- Bem, foi estranho. Também só começamos hoje, amanhã de certeza vai ser melhor. - Minto

Ele senta-se no sofá.

- Ouvi dizer que ouve uns problemas com algumas pessoas na cantina. Essa gente! Arranja logo sarilhos no primeiro dia. 

A Dianne começa-se a rir imeditamente e engasga-se um pouco. 

- Hum, pois. - Digo-lhe, concentrando-me no meu gelado - Uma dessas pessoas..fui...eu.

Ele cala-se e fica a olhar para mim.

- Credo. Estás só no primeiro dia, Chelsea! - Diz ele, espantado - Já sabes que tens de cumprir as regras todas que eles dizem.

- Tu bem sabes que eu sou uma pessoa díficil que detesta seguir regras. - Revelo

- Não faz mal. - Diz ele, colocando a sua mão na minha perna

Uou! Parece que levei um choque elétrico!

- Hum, eu vou à casa de banho... acho eu. - Diz a Dianne, atrapalhada

Ela pisca-me o olho e entra na casa de banho.

- Quando é que a Dianne começa o curso de assistente? - Pergunto, para tentar mudar de assunto

- Acho que começa amanhã. - Diz ele, mas não retira a mão da minha perna

Olho-o nos olhos. Ele sorri levemente. Estou envergonhada.

- Isso é gelado de menta? - Ele agarra na minha colher e tira um grande pedaço de gelado - Adoro.

Ele come a colher de gelado. 

- Acho que o gelado era meu, mas ok. - Digo

Ele ri-se e eu começo a rir-me também.

- Gosto muito de ti, Chelsea. - Diz-me ele

- Eu também gosto muito de ti, Liam.

Ficamos parados a olhar um para outro e de repente, ele beija-me.

É um beijo muito longo. Mas estou a gostar!

- Ai! Ups! Desculpem, acho que ainda não terminei na casa de banho. - Diz a Dianne atrapalhada quando nos vê

Acabamos o beijo e desatamos às gargalhadas.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

01
Jan18

"Fama" - Capítulo XI

João Jesus e Luís Jesus

Muito devagar e respirando fundo várias vezes, lá tenho coragem e bato à porta do compartimento onde me pediram para estar.

- Entre. - Oiço uma voz

Entro, com o coração aos pulos no meu peito.

- Pode sentar-se. - Diz uma mulherzinha com ar de rica e snob, apontando para uma cadeira mesmo à sua frente

Sento-me calmamente, mas cada vez mais, o meu coração pula do seu sítio.

- Menina Chelsea, tem alguma ideia do porquê de a chamar aqui? - Pergunta ela, olhando para uma folha

- Não faço ideia. - Concluo

Ela sorri maliciosamente.

- Eu já sabia que ia dizer isso, afinal, todos dizem. - Diz ela

Detesto-a! Detesto quase toda a gente.

- Bem, eu vou dizer-lhe o porquê. Julgo que já deve calcular que o almoço livre foi como uma prova. Queríamos ver quem seguiria a dieta à risca, mesmo com tudo ao seu dispor e total liberdade para comer o que quisesse. - Revela ela

Fico pasmada. Uau! Esta gente tem esquemas estranhos!

- E é aí que começamos a escolher os melhores candidatos. - Diz ela com um sorriso malicioso - E nós esperávamos muito de si Chelsea, mas logo na primeira prova, você decepcionou-nos. 

Olho para ela seriamente.

- Decepcionei-vos por comer aquilo que eu acho que me faz bem? - Digo com uma risada

Ela parece ser atingida por um raio quando me ouve falar.

- Hum, sim! Se nós a mandamos comer por exemplo, uma alface crua em vez de bolachas de água e sal, você tem de comer, pois agora nós temos influências em si. - Diz ela com um ar de mandona

- Acho que ainda sou eu que mando no que como. - Digo-lhe

Ela dá uma risada quase inaudível e chega mais perto de mim.

- Chelsea, pare. Pare com isso ou vai sair daqui mais cedo do que imagina. Não era isto que mais desejava? Então limite-se a cumprir as regras se ainda quer estar aqui. - Diz ela olhando com os seus olhos de cobra venenosa diretamente para mim

Levanto-me da cadeira.

- Acho que já percebi. - Digo

- Então, entendeu que tem de cumprir a dieta? - Pergunta ela, com um ar mais amoroso

- Entendi. - Digo, enquanto abro a porta - Só que não sou obrigada de a cumprir. Adeus.

Fecho a porta e sorrio. Estou orgulhosa de mim!

Vou ter com a Dianne, que estava à minha espera. 

- Então? Correu bem? - Diz ela com um sorriso

Conto-lhe tudo enquanto andamos até ao pavilhão onde continuaremos as tarefas do dia. 

- Disseste mesmo isso? - Pergunta a Dianne surpreendida

- Sim. Estava farta de a ouvir. - Digo

A Dianne começa-se a rir.

- Sabes que isso pode ter sido mau, por um lado. - Diz ela

- Sim, eu sei! Mas é verdade! Não vão ser eles que vão mandar no que como ou deixo de comer.  - Afirmo - E tu achas exatamente o mesmo, não te ponhas para aí a armar-te em séria!

A Dianne começa ainda a rir-se mais.

- Ok, ok! Eu concordo contigo. - Diz ela - Temos de nos despachar, pois temos mais coisas hoje. 

Começo a correr para o próximo estúdio, pois estamos atrasadas, como sempre.

 

20916630_852581441564418_1179582757_n.png

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL